Sobre

Jornal de Curitiba

Sobre
O Jornal de Curitiba é  a coleta investigativa e análise de informações para a produção e distribuição de relatórios sobre a interação de eventos, fatos, ideias e pessoas que são notícia e que afetam a sociedade em algum grau. 


Jornalismo é como se fosse um fio, que liga as pessoas ao mundo. "Calebe Lamonier"

“O jornalismo é fundamental para garantir o bom funcionamento da democracia, fincada na liberdade de imprensa, no direito à informação e na liberdade de expressão de todos os cidadãos”.

O Jornal de Curitiba oferece informação rápida, confiável, Imparcial e completa dos acontecimentos  no Estado do Paraná, Brasil e ao redor do mundo  através de artigos, fotos, vídeos, e gráficos animados/estáticos. A cobertura do Jornal de Curitiba não tem limites, incluindo conflitos, política, economia, meio ambiente, saúde, esportes e tecnologia.

Visão geral da empresa
Ser a empresa jornalística líder na preferência Estadual por meio da implantação de um Sistema de Gestão de Qualidade e um planejamento estratégico de crescimento.

Missão
O jornal pretende apresentar de forma direta informação fidedigna, o mais completa possível, interessante, atual e de alta qualidade, de forma a ajudar os leitores a entender a realidade e construir seu próprio juízo. O que os jornalistas transmitem aos leitores são notícias comprovadas, se abstendo de incluir sua opinião pessoal. Há uma linha clara e distinta entre informação e opinião.


Opiniões

O Jornal de Curitiba acolhe todas as tendências, com exceção daquelas que defendam a violência como meio para alcançar um fim. As pessoas responsáveis pela redação são muito rigorosas na rejeição de opiniões contendo insultos, xenofobia, racismo, homofobia, calúnia ou que causem dano à dignidade pessoal, à honra, à imagem ou à privacidade.


Valores
Jornal de Curitiba é um jornal Brasileiro e latino-americano, liberal, independente e comprometido com a sociedade.

Como diário independente, engloba e segue todas as tendências sociais, rejeitando a noção de que os fins justificam os meios. Reconhece que a soberania pertence às pessoas, ou seja, a cada um dos cidadãos, os quais possuem direitos iguais. O jornal é um defensor do pluralismo e da democracia, exercida através do sufrágio universal. Aceita os direitos fundamentais dos seres humanos e rejeita todas as formas de governo totalitário.


Jornal de Curitiba não pertence e não serve de porta-voz a nenhum partido, associação ou grupo financeiro, cultural ou político. Embora deva defender a necessidade de livre iniciativa e dependa das receitas da publicidade, o jornal rejeita pressões e não aceita quaisquer condições impostas por lobbies econômicos.
Jornal de Curitiba is a Brazilian and Latin American newspaper, liberal, independent and committed to society. As an independent daily, it encompasses and follows all social trends, rejecting the notion that the ends justify the means. It recognizes that sovereignty belongs to the people, that is, to each of the citizens, who have equal rights. The newspaper is an advocate of pluralism and democracy, exercised through universal suffrage. It accepts the fundamental rights of human beings and rejects all forms of totalitarian government. The Jornal de Curitiba does not belong and does not serve as a spokesperson for any party, association or financial, cultural or political group. Although it must defend the need for free initiative and depends on advertising revenues, the newspaper rejects pressure and does not accept any conditions imposed by economic lobbies.

Verificação de fatos e fontes

Os jornalistas podem obter sua informação de três maneiras: pela sua presença no local, de acordo com o que contem terceiros, ou a partir de uma fonte documental. Os leitores têm o direito de saber quais de estas três circunstâncias estão detrás do artigo que eles leem. Para isso, a fonte deve ser referida sempre que o jornalista não estava presente quando a ação ocorreu. Se a informação vem de um único indivíduo, se indicará a “fonte”, no singular.

Fontes anônimas
Os jornalistas têm a obrigação de não revelar suas fontes de informação se estas pediram para permanecer confidenciais. Excecionalmente, e por razões relacionadas com a sua honra ou status profissional, os jornalistas podem divulgar essas fontes se o editor os autoriza. Do mesmo modo, sempre que estiver envolvida informação particularmente importante, o editor do jornal tem o direito a saber as fontes do escritor, com o compromisso explícito de não as divulgar.


As opiniões não se devem ocultar sob expressões utilizadas para mencionar supostas fontes de informação (“de acordo com observadores”, “segundo afirmam analistas políticos”, etc.).

A Ouvidora

A ouvidora [ou ouvidor] assegura os direitos dos leitores, responde a suas queixas, dúvidas e sugestões relativas aos conteúdos do diário, e se certifica de que a abordagem à informação segue os requisitos éticos e profissionais vigentes no jornalismo. Ela pode intervir pelo apelo de qualquer leitor ou por sua iniciativa própria.

Comentários
Jornal de Curitiba incentiva a participação dos leitores, exigindo sempre qualidade e excluindo insultos, desqualificações e considerações não relacionadas com o tópico em questão.

A gestão editorial decide diariamente que notícias, artigos e blogs ou outros conteúdos estão abertos a comentários. A seleção se faz de acordo com o valor da informação e sempre que seja possível moderar a qualidade.


Jornal de Curitiba se reserva o direito a eliminar os comentários que considere inapropriados e poderá expulsar quem não tenha em atenção as regras.


CEO: J. Savattore

Data da fundação
2007

CONTATOS





Produtos
Livros, Revistas e Jornais

Copyright © 2007 l 2020 Jornal de Curitiba


"As opiniões colocadas por nossos colaboradores se realizam a nível pessoal, podendo coincidir ou não com a postura da direção do Jornal de Curitiba."
Jornal de Curitiba © 2007-2020. Todos os Direitos Reservados

© 2020 JORNAL DE CURITIBA COMPANY/JCCo




Jornal de Curitiba