Rússia destrói satélite em teste de míssil espacial e é acusada de “ato irresponsável”

Destroços de satélite destruído por míssil espacial russo acionaram o alarme da estação espacial ISS. - NASA/AFP/File

Texto por: RFI

Rússia destrói satélite em teste de míssil espacial e é acusada de “ato irresponsável”

A destruição do satélite em órbita pelas Forças Armadas da Rússia gerou cerca de 1.500 destroços, segundo as autoridades norte-americanas. De acordo com Washington, a operação provocou uma nuvem de detritos que teria colocado em risco os sete astronautas a bordo da ISS, os obrigando a se refugiar temporariamente em suas naves para se prepararem para uma eventual saída de emergência.

Os fragmentos também representariam um risco para milhares de outros satélites em órbita, dos quais dependem muitas atividades da Terra, como as telecomunicações ou serviços de geolocalização.

A acusação foi imediatamente rebatida por Moscou. A agência espacial russa, a Roscosmos, garantiu que sua "prioridade máxima" é a "segurança da tripulação" da ISS.

Já o ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Lavrov Lavrov criticou abertamente as declarações de Washington. "Declarar que a Federação Russa criou riscos para a exploração com fins civis do espaço é hipócrita, para dizer o mínimo. Não há qualquer fato nesse sentido", disse o chefe da diplomacia.

Otan denuncia irresponsabilidade

Mesmo assim, o chefe da Otan, Jens Stoltenberg, denunciou em Bruxelas o que classificou de “ato irresponsável”. O diretor da Organização do Tratado do Atlântico Norte insistiu que a destruição do satélite também gerou abundante "lixo, o que representa um risco para a atividade civil no espaço".

Stoltenberg lembrou que parte importante das capacidades da Otan depende das suas ferramentas de satélite, incluindo "comunicações, navegação e alertas antecipados". Ele garantiu, no entanto, que a Aliança Atlântica não pretende "militarizar o espaço". O chefe da organização observou ainda que a situação "é motivo de preocupação, porque mostra que a Rússia está desenvolvendo novos sistemas de armas que podem derrubar satélites". Desta forma, acrescentou, este país "pode destruir capacidades espaciais importantes para a infraestrutura básica na Terra".

O episódio chama a atenção para o risco de uma militarização do espaço. Este é um dos poucos campos em que Washington e Moscou ainda mantêm uma cooperação relativamente estável depois da Guerra Fria, apesar de suas muitas divergências.

(Com informações da AFP)

© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Desenvolvido por Editora MR Agência Digital