Abertura do Terminal Tatuquara, novo Ligeirão e mais integração com a RMC


Reconhecida por ter um sistema de transporte público moderno e eficiente, Curitiba fez jus à fama em 2021 com a inauguração do Terminal Tatuquara e a implantação do novo Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho, que estabeleceu uma ligação inédita entre o Norte e o Sul da cidade pela Linha Verde.


A população ganhou mais integração com a Região Metropolitana, com linhas de ônibus e possibilidades de conexão pagando apenas uma passagem. 


A implantação de wi-fi em todos os terminais da cidade e novas formas de carregar o cartão-transporte, inclusive com créditos do Nota Curitibana, são outras novidades que trouxeram mais comodidade e economia para o passageiro.


“Ao mesmo tempo em que a Prefeitura investiu em infraestrutura de transporte, houve um avanço tecnológico grande no sistema, que permitiu dar mais qualidade do serviço para o passageiro”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs.


A Prefeitura também investiu em manutenção e melhorias em terminais, reformou e inaugurou estações-tubo e revitalizou a Rua 24 horas e a Rodoviária.


Pandemia

No combate à pandemia de covid-19, as ações foram concentradas. A Prefeitura manteve medidas de segurança sanitária, fez sanitização especial de ônibus, terminais e estações-tubo. Além de manter a linha Especial Expresso Saúde, voltada para profissionais da área, criou a linha Parque Barigui/Vacina, para atender as pessoas que iam se vacinar no Pavilhão da Cura.


O Urbs Móvel, ônibus itinerante que percorre os bairros da cidade, levou serviços como a confecção do cartão-transporte - que responde por mais de 70% dos pagamentos das viagens - para perto da população. Com o serviço no bairro, os usuários não precisaram se deslocar até a Urbs ou unidades nas Ruas da Cidadania para serem atendidos.


Para evitar a disseminação da covid-19 dentro dos veículos, Urbs e Secretaria Municipal de Saúde (SMS) implantaram, no fim de março, um sistema inédito de cruzamento de dados de CPF de pessoas diagnosticadas com a doença com o dos usuários do cartão-transporte.


Isso evitou que pacientes com covid-19 rompessem o isolamento e embarcassem nos ônibus. Se o passageiro com teste positivo tentasse entrar nos ônibus, o cartão era bloqueado.


Regime Emergencial

Ainda sob o impacto da pandemia de covid-19, o transporte coletivo contou com a renovação do regime emergencial, que possibilitou equilibrar o custo do sistema, mesmo com a redução do número de passageiros e a alta de insumos, como combustível.


Ao contrário de muitas cidades brasileiras, que viram o sistema entrar em colapso, com quebra de contratos e greves, aqui o serviço se manteve sem interrupções para os cerca de 600 mil passageiros que usam diariamente as 254 linhas de ônibus da capital. Mesmo com o cenário adverso, foi mantida a tarifa reduzida de R$ 3,50 em 11 linhas fora dos horários de pico e R$ 4,50 nos demais horários - o mesmo valor desde 2019.


 

MAIS DA URBS EM 2021

Novos espaços licitados

Lojas e bancas

Na área comercial, também administrada pela Urbs, houve licitações para ocupação de vários espaços na cidade. Novas lojas, bancas e quiosques entraram em funcionamento nas Ruas da Cidadania, Rodoviária, Mercado Municipal Capão Raso e bicicletários nos parques, praças e áreas verdes da cidade.


Terminal do Tatuquara

Redução do tempo de espera

Uma das principais entregas da atual administração, o aguardado Terminal do Tatuquara - o 22º da cidade - foi inaugurado em maio. Recebeu R$ 8,2 milhões em investimentos para atender principalmente a população dos bairros Caximba, Campo do Santana e Tatuquara.


Cerca de 34 mil passageiros por dia utilizam as sete linhas de ônibus com embarque e desembarque no local: 617 JD Ludovica; 619 Sta Rita/CIC; 650 Sta Rita/Pinheirinho; 681 Dalagassa; 684 Rio Bonito; 685 Rio Bonito-CIC; e 773 Vizinhança/Sta Rita.


O terminal trouxe benefícios, como a redução do tempo de espera, com a possibilidade de mais linhas para se dirigir aos terminais Pinheirinho ou CIC.


Denise Ramos, 39 anos, é diarista e trabalha em casas em Tatuquara. Também tem amigas na região e costuma visitá-las. Antes da inauguração do Terminal, não havia linhas de integração com bairros próximos.


“Nós descíamos muito longe do Centro e precisávamos ir caminhando. O terminal ajudou muito porque encurta essa distância” conta Denise.


A aposentada Maria Elena Pinto mora no Rio Bonito. Como já se mudou bastante para outras áreas próximas ao Tatuquara e tem conhecidos em todo lugar, ela conta que o terminal ajudou. “Agora eu posso ir para qualquer lado com mais comodidade. Melhorou a movimentação para todo mundo.”


A infraestrutura, lado a lado com a Rua da Cidadania de Tatuquara e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), também são benefícios que ela percebeu.


Ligeirão Fagundes Varela

Linha Verde de norte a sul

Uma das obras mais importantes da capital, a Linha Verde avançou em 2021 e ganhou, em julho, o Ligeirão Fagundes Varela/Pinheirinho, ligação inédita entre Bairro Alto, na região Norte, ao Pinheirinho, no Sul da cidade.


Em um trajeto de 29 quilômetros (entre ida e volta), o ônibus permite até 25 integrações pelas estações-tubo do percurso (três metropolitanas), sem contar as conexões que podem ser feitas no Terminal Pinheirinho, o maior da cidade, por onde circulam 46 linhas, sendo quatro metropolitanas. Com a integração, é possível trocar de ônibus nas estações-tubo ou no terminal sem pagar outra passagem. São nove estações-tubo e cerca de 1,5 mil passageiros por dia.


Para a entrada em operação do novo Ligeirão, foram inauguradas duas estações-tubo (Fagundes Varela e Olímpia) e à medida que as obras avancem novas serão abertas.


“A viagem de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana, onde moro, até o Bairro Alto, onde trabalho, ficou 40 minutos mais rápida. Antes eu tinha que acordar 5h15. Agora posso acordar 6h para ir trabalhar. É um tempo a mais para descanso”, diz o promotor de vendas Sergio Ricardo Pruner.


Para a diarista Nilda Ribeiro, a vantagem foi reduzir o número de ônibus que tinha que pegar para ir trabalhar. “Reduzi de quatro para dois ônibus. Antes, além disso, tinha que caminhar uns 25 minutos para chegar no ponto” conta.


A aposentada Alvacy Figueiredo comemorou a comodidade de o Ligeirão fazer a ligação do Bairro Alto com o sul da cidade. “Lá, na região sul, tem o Hospital do Idoso. É muito importante uma linha como essa para quem é de idade e vive aqui. Fica mais fácil, diz.


Mais entregas


Em 2021, também avançaram as obras da segunda etapa do Ligeirão Norte Sul – Santa Cândida/Pinheirinho, com entrega da reforma e desalinhamento de estações-tubo Ouro Verde, Morretes, Dom Pedro I e João Bettega  (ambos sentidos). O Ligeirão, que já circula até a Praça do Japão, chegará ao Pinheirinho em 2022 e deve reduzir o tempo de deslocamento, de ponta a ponta, em 16 minutos. A obra contempla 26 estações-tubo


Integrações com a RMC

Novas linhas

A Prefeitura também ampliou a integração do transporte com a região metropolitana. Um dos destaques foi a nova linha N01 Jd Paulista/Fagundes Varela, que passou a ligar Campina Grande do Sul a Curitiba. Até então, o município vizinho não tinha uma ligação direta com a capital. A linha permite conexões com o terminal do Cabral, o Centro e o Sul da capital, ao parar na nova estação-tubo Fagundes-Varela.


Já a linha metropolitana B42 Maracanã/Linha Verde, que liga Colombo a Curitiba, passou a realizar a integração pela estação-tubo Fagundes Varela, com opção de conexão nos terminais Bairro Alto, Cabral e Pinheirinho. Também passou a ser possível a integração com os terminais Portão e Oficinas através da linha 050 - Interbairros V.


Faixas exclusivas

Trajeto mais rápido

Curitiba já tem oito ruas na cidade com trechos onde há faixas exclusivas para ônibus, totalizando 10,5 quilômetros. Em 2021, foi implantada a nova faixa exclusiva na Rua Marechal Deodoro entre a Ubaldino do Amaral e a Ângelo Lopes, com extensão de 1,5 quilômetro. A obra beneficiou cinco linhas de ônibus urbanas (Higienópolis, Tarumã, Alto Tarumã, Sagrado Coração e Detran/Vicente Machado) e quatro metropolitanas (Guaratuba/Guadalupe, Pinhais/Guadalupe, Piraquara/Santos Andrade e Piraquara).


Recarga de créditos

Facilidade para o passageiro

O investimento em tecnologia vem permitindo que o passageiro tenha cada vez mais comodidade ao usar o transporte coletivo.


A recarga do cartão-transporte ganhou novidades, com a possibilidade, a partir de maio de 2021, de transferir créditos do programa Nota Curitibana, que incentiva o contribuinte a pedir CPF na nota de serviços.


Para quem é participante do programa, é gerado um crédito – em média, 15% do valor do imposto devido de ISS – a cada compra.


O passageiro também passou a ter a possibilidade de carregar os créditos pelo WhatsApp com a Recarga Cliqx, modelo que se somou a outras modalidades de aquisição, como pelo site da Urbs, por aplicativos, nos terminais de transporte, bancas de revistas e nas redes Condor, Muffato e Maxxi Atacadista.


Estacionamento Inteligente

Vagas pelo Estar Digital

A Prefeitura inaugurou um novo modelo de estacionamento, o SmartPark, com unidades no Jardim Botânico e no São Francisco. São vagas que podem ser acionadas pelo Estar Digital, mesmo não estando em ruas. São 225 vagas no Jardim Botânico e 94 vagas no São Francisco. Para os usuários, é uma alternativa prática e mais barata que os estacionamentos particulares.


Linha Turismo

Preço especial para moradores

Para o turista, a Prefeitura, por meio da Urbs, também teve ações especiais em 2021, com as linhas de Natal - o drive-thru do Parque Barigui e do Náutico -, a ampliação do horário da Linha Turismo e a mudança do seu ponto inicial para a Rua 24 horas. Os moradores da cidade também puderam usar a Linha Turismo com preço especial de R$ 4,50 – o mesmo dos demais coletivos da cidade – durante a primavera. 


Quem quer comprar presentes e lembranças com o charme curitibano das lojas #CuritibaSuaLinda passou a ter mais opções em 2021. A rede de lojas administradas pela Urbs e com curadoria do Instituto Municipal de Turismo (IMT) ganhou mais duas unidades, no Memorial Paranista e no Shopping Estação e, além das lojas físicas (agora num total de sete) e site, passou a vender também pelo aplicativo Rappi.

Fonte: SMCS

© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Desenvolvido por Editora MR Agência Digital