Arquitetura, pesquisa e contação de histórias para quem quer mergulhar na cultura árabe

Quer ler a história das Mil e uma noites? Pesquisar arquitetura mourisca? Já viu o Alcorão? Que tal fazer tudo isso no Memorial Árabe, um dos espaços de conhecimento que integra a rede de faróis e bibliotecas escolares de Curitiba?

Foto: Lucilia Guimarães/SMCS
Biblioteca Gibran Khalil Gibran, também conhecida como Memorial Árabe. Curitiba, 11/01/2022. 



Nestas férias, o local – que fica ao lado do Passeio Público - tem atraído turistas de outros países, como Noruega, Egito e Inglaterra, além de visitantes do Amapá, Minas Gerais, Santa Catarina, Distrito Federal, Amazonas, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul e interior do Paraná.


A Biblioteca Gibran Khalil Gibran, inaugurada em dezembro de 1996, na primeira gestão Rafael Greca, também conhecida como Memorial Árabe, foi construída em homenagem à cultura dos países árabes. O local remete ao estilo arquitetônico das edificações mouriscas, com elementos como colunas, abóbada, arcos e vitrais coloridos. 


“A beleza de Curitiba é construída com base na cultura do nosso povo”, resume a professora Maria Alice Medeiros Tondin, agente de leitura do Memorial Árabe. “Temos um amplo acervo com títulos sobre cultura, religião e literatura árabe”, explica.


Alice conta que o público que mais se sente atraído pelo local é formado por arquitetos, engenheiros, professores e psicólogos. “As pessoas ficam encantadas com a riqueza do local. E a maioria dos turistas adora saber que é um espaço de conhecimento com acesso gratuito à internet, muito mais que biblioteca”, explica.


No Memorial tem contação de histórias, todas as terças às 10h e às 15h30, além de rodas de leitura e oficina Mão na Massa (veja a programação no link abaixo).


Com inovação

Além dos Faróis de praça e bibliotecas temáticas, Curitiba tem também 33 Faróis do Saber e Inovação, onde acontecem oficinas de criatividade com impressoras 3D, anexos às escolas municipais.


A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, explica que o movimento maker (faça você mesmo), fortalece competências em informação, mídia, tecnologia, entre outras. 


As estruturas que antes ofertavam livros e acesso gratuito à internet, com o novo projeto, representam a evolução dos Faróis do Saber, criados na década de 1990. 


O objetivo agora é oferecer, de maneira gratuita a toda comunidade, espaços de inovação baseados no conceito da educação maker. Os novos espaços ficam no mezanino dos faróis e oferecem impressoras 3D para criação de protótipos, com a orientação de professores da rede municipal que passam por formação continuada.


Opções nas férias

Este mês de janeiro traz muitas opções divertidas e gratuitas nos Faróis do Saber em praça para quem está de férias na cidade.

Acesse a programação completa.

Veja os detalhes das atividades.

© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Desenvolvido por Editora MR Agência Digital