Escola Pública de Trânsito forma primeiros agentes educadores em curso inédito




A Escola Pública de Trânsito de Curitiba (EPTran) fez nesta terça-feira (2/8) a aula inaugural do primeiro curso do país para Agente Educador de Trânsito. 

Com uma carga horária total de 60 horas, a formação é destinada aos profissionais que já atuam na área e que desejam educar para o respeito ao trânsito.

A proposta é que, além da sua formação de agente de trânsito, o profissional receba uma qualificação específica para ser um agente educador, um melhor preparo para trabalhar com diferentes públicos.

"Além de educar, que ele possa também desenvolver projetos e programas na área e fazer uma análise crítica dos atuais programas existentes, de maneira que possam ser constantemente aprimorados”, explica o diretor da EPTran, Claudionor Agibert.

Ao todo, 18 agentes de trânsito de Curitiba e Região Metropolitana participam da capacitação que ocorre na modalidade presencial e conta com certificação do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap).


Formação

São diferentes módulos com conteúdos de pedagogia; legislação aplicada à educação de trânsito; abordagens com crianças, adolescentes, adultos e idosos; psicologia no trânsito; desenvolvimento de projetos de educação de trânsito com foco em inclusão; além de inovação, sustentabilidade e globalização com enfoque em iniciativas nacionais e internacionais.

Segundo Agibert, por ser o primeiro, o curso está em fase experimental e deve passar por uma avaliação e ajustes após sua conclusão. 

Depois deve ser compartilhado. “Nossa intenção é levar essa experiência para todo o Brasil e habilitar o curso na modalidade EAD para que pessoas de outras cidade possam participar”, afirma o diretor.

A superintendente de Trânsito de Curitiba, Rosângela Battistella, destaca que a cidade é referência no trânsito no país e, por isso, recebe delegações de outros estados que visitam tanto a EPTran como as demais estruturas da Setran.

“A Escola Pública tem esse papel de educação para o trânsito não somente em escolas, mas para pedestres, motoristas, ciclistas e, principalmente, para motociclistas, uma das categorias que mais morre no trânsito hoje”, destaca Rosângela.

Segundo ela, trabalhar educação no trânsito é fundamental para alertar a população das ações e mudanças ocorridas, como na implantação de novo sentido de uma via, uma nova sinalização, de limitadores de velocidade, entre outras, além de modificar comportamentos.  

Informações da SMCS

© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Desenvolvido por Editora MR Agência Digital