Em discurso aos franceses, Macron pede união e diz que 2022 pode ser o ano do fim da pandemia


O tema não poderia ser outro na tradicional mensagem de votos para o Ano Novo. No dia em que a França registrou um novo recorde no número de casos positivos, de Covid o presidente Emmanuel Macron lembrou que as próximas semanas devem ser difícieis para os franceses e voltou a pedir que todos se vacinem. O chefe de Estado não deixou, no entanto, de mostrar otimismo e afirmou que há motivos para ter a esperança de que 2022 seja o último ano da pandemia.

Texto por: Cristiane Capuchinho RFI

Diante do jardim do Palácio do Eliseu, Macron iniciou seus 14 minutos de discurso com uma homenagem às vítimas e aos trabalhadores da pandemia. E fez menção às dificuldades impostas pela nova onda causada pela variante ômicron --232 mil casos registrados nas últimas 24 horas e 1.928 novas internações hospitalares, segundo o ministério da Saúde.


Em seu balanço, o chefe de Estado alertou que as próximas semanas "serão difíceis" no país, com o risco de desorganização dos serviços básicos por falta de trabalhadores, devido ao número de doentes. Macron enfatizou a importância da vacinação, "nossa verdadeira arma", e do uso de máscaras, e disse que havia "verdadeiras razões de ter esperança" e que "2022 pode ser o ano da saída da epidemia".O presidente evocou o alto número de vacinados, mais de 53 milhões em todo o país, e fez um chamado aos que ainda não se imunizaram: "A França toda conta com você".



Um presidente e um candidato? 

A pouco mais de três meses das eleições presidenciais e ainda ser ter anunciado oficialmente sua candidatura à reeleição, Macron usou o discurso televisionado para pedir união e lançar mensagens subliminares ao tom desagregador da campanha feita por alguns dos candidatos, como os representantes da extrema direita Marine Le Pen e Éric Zemmour. 

 Sem fazer referência à eleição, o político reafirmou sua disposição e seu otimismo para os anos que se seguem e assegurou que "continuará a servir aos franceses", pouco importa em que posição ou sob quais circunstâncias. 

 A eleição presidencial acontece nos dias 10 e 24 de abril de 2022, e é seguida por eleições legislativas para escolher a Assembleia Nacional em junho. França na presidência da União Europeia Com a bandeira da União Europeia ao lado da francesa dentro do enquadramento do vídeo, o presidente dedicou alguns minutos para falar sobre a importância do bloco econômico durante a epidemia e para superá-la. 

No sábado (1°), a França assume por seis meses a presidência transitória da União Europeia, substituindo a Eslovênia. Macron prometeu seu "total" compromisso com o cargo e disse que 2022 deve marcar uma mudança de rumo para a Europa. 

 O presidente francês anunciou que trabalhará os temas da proteção das fronteiras, da defesa, das mudanças climáticas, da igualdade de gêneros e da construção de uma nova aliança com o continente africano. 

 Ao final do discurso, além dos clássicos "Viva a República, viva a França", Macron incluiu um viva para a Europa, enquanto a torre Eiffel se iluminava com as cores do bloco econômico.
© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Desenvolvido por Editora MR Agência Digital