Parques, bosques e portais conectam o visitante com as origens de Curitiba

novo álbum Parques, bosques e portais conectam o visitante com as origens de Curitiba

A gastronomia e até o sotaque curitibano são fruto da miscigenação dos povos que ajudaram a forjar a identidade da capital. Mas é a arquitetura que se espalha por parques, bosques e outros espaços públicos que reforça o senso de pertencimento da população à cidade e atrai turistas.

Para celebrar o Dia do Imigrante, no próximo sábado (25/6), que tal conhecer algumas atrações – entre memoriais, portais e parques – que resgatam e preservam a variada história de parte da imigração em Curitiba? Elas ficam em meio ou muito perto de áreas verdes e são um convite para serem visitadas.

Portal de Santa Felicidade – Na entrada do bairro nascido da forte presença italiana na cidade, o monumento reúne elementos que sintetizam as primeiras construções locais. Ele também sinaliza para o extenso roteiro gastronômico de Santa Felicidade, formado por restaurantes que baseiam seu cardápio na herança culinária da etnia. A partir deste ano, o portal conta com iluminação cênica temática.

Memorial Ucraniano – Uma das mais importantes reservas naturais da cidade, o Parque Tingui, entre os bairros Santa Felicidade e Pilarzinho, reúne exemplares da fauna e da flora regional e celebra três etnias: a indígena, que dá nome ao local; a ucraniana, com portal e o memorial inspirado na capela cristã ortodoxa e que é usada para eventos culturais; e a Praça Brasil 500 anos, reverência à chegada dos portugueses ao Brasil.

Memorial Árabe – Situado na região central, é uma edificação em forma de cubo e rodeada por um espelho d’água. Elementos da fachada remetem à arquitetura mourisca e à cultura do Oriente Médio. Dentro do prédio, uma biblioteca homenageia o escritor Gibran Khalil Gibran. O espaço tem um vizinho importante: o Passeio Público, primeiro parque da cidade.

Memorial da Imigração Polonesa – Também conhecido como Bosque do Papa, por homenagear o ex-pontífice João Paulo II, o local guarda um pedaço da herança trazida pelos primeiros imigrantes poloneses –  que tornaram a influência polonesa um dos mais fortes traços formadores da cidade. O Memorial fica logo após o Portal Polonês e guarda réplicas de casas, móveis, instrumentos e trajes típicos. Fica no Centro Cívico, bairro onde funcionam os Três Poderes.

Bosque do Alemão - Um instigante espaço verde convida adultos e crianças a mergulharem no imaginário construído a partir da herança dos imigrantes alemães. Nele é possível visitar o Oratório de Bach, sala de recitais em forma de igreja neogótica que homenageia o compositor erudito; admirar a massa verde a partir da Torre dos Filósofos; percorrer o Caminho do Conto e conhecer a história de João e Maria; e admirar a réplica da fachada da Casa Mila, construção representativa da arquitetura germânica. 

A Casa Encantada, onde bruxas recebem crianças para tardes de contação de histórias, passa por revitalização e será aberta no segundo semestre.

Portal Africano – Situado na Praça Zumbi dos Palmares, no bairro Pinheirinho, o local conta com um portal, colunas representativas de cada país africano e o mapa continental formado por um mosaico de pedras. O conjunto homenageia a etnia que também ajudou a formar a cultura do povo brasileiro e o líder quilombola pernambucano Zumbi dos Palmares.

Serviço:

  • Portal de Santa Felicidade: Av. Manoel Ribas, entre Mercês e Santa Felicidade
  • Bosque do Papa: Rua Euclides Bandeira, 1200, Centro Cívico
  • Bosque do Alemão: Rua Nicolo Paganini esquina com Franz Schubert, Vista Alegre
  • Memorial Árabe: Praça Gibran Khalil Gibran, Centro
  • Parque Tingui: Av. Fredolin Wolf, 1805
  • Praça Zumbi dos Palmares: Rua Lothário Boutin, 289, Pinheirinho

Veja aqui outros locais para conhecer

@SMCS

© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Desenvolvido por Editora MR Agência Digital