Acessibilidade digital: como a tecnologia auxilia na inclusão de pessoas com deficiência?


No mês da luta da pessoa com deficiência, pesquisa mostra que menos de 1% dos sites brasileiros possuem ferramentas que proporcionem navegação de usuários


Os últimos anos evidenciaram a importância da acessibilidade digital como forma de permitir o acesso de pessoas com deficiência a sites, blogs e redes sociais, fatores presentes na rotina diária dos brasileiros atualmente. No último censo realizado pelo IBGE, em 2010, o Brasil possuía cerca de 46 milhões de pessoas com algum grau de dificuldade em enxergar, ouvir, caminhar, subir degraus ou deficiência mental/intelectual, o que representava à época 24% da população do país.


Apesar disso, apenas 0,89% dos sites brasileiros seguem as diretrizes da LBI (Lei Brasileira de Inclusão), que determina que sites públicos e privados sejam acessíveis para o público com algum tipo de deficiência, segundo pesquisa da BigDataCorp, que avaliou mais de 16 milhões de portais do país em 2021.


“Percebemos uma preocupação cada vez maior por parte dos nossos clientes em desenvolver seus produtos digitais de maneira mais inclusiva e acessível, de modo a garantir uma boa experiência digital para todos os públicos. Ou seja, cada vez mais os aspectos da acessibilidade em soluções digitais deixam de ser um diferencial, e já são uma exigência por parte do mercado”, explica Rafael Tiba, CEO da Zappts, empresa de tecnologia que desenvolve produtos digitais para grandes marcas.


Acessibilidade digital pode transformar experiência de usuários


Com os diversos tipos de deficiências conhecidas atualmente, como visual, auditiva e física, além de outros exemplos, os sites devem possuir ferramentas que auxiliem a navegação destes usuários e possibilitem a inclusão dos mesmos. 


Não possuir estes auxílios impacta diretamente no consumo deste público, que representa ¼ da população brasileira. Segundo pesquisa da empresa inglesa Click-Away Pound com pessoas que apresentam algum tipo de deficiência, 69% dos participantes relataram abandonar sites devido às barreiras de acessibilidade identificadas e 86% disseram que gastariam mais em lojas virtuais que possuam ferramentas de acessibilidade.


Diante desse cenário, alguns elementos devem ser imprescindíveis nos sites:


  • Conteúdos apresentados de formas diversificadas, permitindo que todos recebam a informação que é passada e o contexto;
  • Conteúdos não textuais (imagens e vídeos, por exemplo), acompanhados de textos e/ou áudios;
  • Funcionalidades do teclado para as pessoas que possuem alguma dificuldade no uso do mouse (como o uso da tecla Tab para rolagem de página);
  • Inclusão de legendas ocultas nos vídeos, para os leitores com deficiência auditiva;
  • Inclusão de textos alternativos em imagens para os leitores com deficiência visual.

 

"Um dos nossos papéis é ajudar nossos clientes a escolher as ferramentas corretas para garantir acessibilidade de seus produtos. Com o uso de ferramentas simples, é possível otimizar a usabilidade do usuário de maneira significativa, conforme adicionamos instrumentos tecnológicos à soluções digitais como portais e aplicativos, mais pessoas são possibilitadas a utilizar e usufruir daquele conteúdo.” conta o CEO da Zappts.


Importância da acessibilidade digital para inclusão social


Apesar de serem quase 25% da população brasileira, as pessoas com deficiência historicamente encontram problemas de acessibilidade no país, não apenas digital, mas também de infraestrutura.  O avanço tecnológico apresentado nos últimos anos parece não ter sido refletido na usabilidade destes usuários nos sites brasileiros.


Desta maneira, a construção da acessibilidade digital é mais do que apenas um pré-requisito que os sites devem seguir, mas sim uma forma de inclusão social, permitindo que todos tenham as mesmas ferramentas de uso para utilizar a internet para consumo, pagamento de contas, lazer, conhecimento e informação.


“Vemos um crescente movimento no mercado em busca de parceiros tecnológicos que entendam e desenvolvam soluções realmente acessíveis. Cada vez mais as empresas de distintos ramos de negócio veem os aspectos da acessibilidade tecnológica como um investimento, que garante retorno financeiro e de imagem, conquistando vantagens competitivas sólidas frente à concorrência”, finaliza Tiba.


Sobre a Zappts

  • Desde 2014 no mercado, a Zappts realiza a aceleração digital de grandes marcas como a Porto Seguro, Getnet, BTG Pactual, Cateno, Ambev, Multilaser, Ultragaz, C&A e Burguer King, entre outras. Com foco no desenvolvimento de software, especialmente em Front-end, UX Design, Quality Assurance e Gestão de Ambientes Cloud atua no planejamento, gestão e operação de serviços de desenvolvimento de soluções digitais corporativas, gestão de ambientes e transferência de conhecimento por meio da tecnologia da informação. Referência na criação de experiências digitais para os usuários, além de desenvolver soluções inovadoras e rápidas, a empresa atua em modelo 100% remoto, com equipes distribuídas em mais de 18 estados do Brasil. Saiba mais em: https://www.zappts.com.br/


© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Publicado por Editora MR Agência Digital