Águas do Rosário reforçam Consciência Negra e luta contra o racismo

Igreja do Rosário celebra o Dia da Consciência Negra com a bênção das Águas do Rosário. Curitiba, 20/11/2022. Foto: Hully Paiva/SMCS


A Igreja do Rosário foi palco neste domingo (20/11) da principal celebração do Dia da Consciência Negra, que teve em Curitiba atividades desde o início do mês.


A data, alusiva à morte de Zumbi dos Palmares (ícone do combate à escravidão e do movimento negro), é um reconhecimento da luta dos negros e contra o racismo e a discriminação racial.


A Igreja, cujo nome completo é Igreja do Rosário dos Pretos de São Benedito (e foi construída por negros), foi palco de um culto interreligioso, de uma missão cristã, seguida da bênção das Águas do Rosário.


A cerimônia de matriz africana reuniu centenas de participantes num cortejo que saiu da igreja em direção ao Memorial de Curitiba, se misturou ao tradicional movimento da feira do Largo da Ordem e foi marcado pelas águas abençoadas por Oxum (orixá das águas doces na Umbanda) e pelo maracatu de baque virado do gupo Baque Mulheres.


No Memorial, apresentações de corimbas (grupos ligados à umbanda) encerraram os festejos.


Respeito e reconhecimento

Para os participantes, combate ao racismo, luta por reconhecimento e respeito marcaram a celebração — tanto para curitibanos quanto para turistas que passavam pelo local.


Diego Zamura, estudante de Ciências Sociais e profissional de callcenter, destacou a importância de se homenagear as tradições.


“O Dia da Consciência Negra reaviva a memória dos nossos heróis e heroínas que fazem parte da construção do nosso país”, disse, enquanto participarava do cortejo com o filho Dimas nos ombros.


 “Curitiba é preta muito mais do que a gente imagina.”


Causa

Para o casal Adejailson Alves e Cristiane, advogado e administradora que há quatro meses residem em Curitiba, a celebração fortalece a causa negra.


“As novas gerações vão encontrar uma caminho mais lúcido para respeitar todas as diferenças”, disse Cristiane.


Atriz, Simone Magalhães destacou a importância da celebração. “Precisamos lembrar nossos ancentrais e celebrar a tolerância, o antirracismo”, afirmou. “Hoje é festa. Com os orixás.”


Reafirmação permanente

Já artista plástica curitibana Ivana Lima participou pela primeira vez da celebração e reafirmou a necessidade de as questões levantandas pelo Dia da Consciência Negra serem defendidas de forma permanente. 


“O dia ajuda a afirmar a importância desse movimento, mas a consciência precisa acontecer todos os dias”, disse Ivana.


Mateus Rodrigues, estudante de Direito e auxiliar adminsitrativo, foi na mesma linha e chamou atenção para “luta diária” contra o racismo.


“Enquanto a gente não entender que todo mundo precisa estar na luta contra qualquer qualquer tipo de preconceito não vamos vencer esse problema”, afirmou. 


“A data é importante por tudo o que as pessoas que sofreram [com a escravidão] passaram. Mas a luta é diária.”


Surpresa

Renato Casemiro, que veio a Curitiba com a família para um casamento e é atuante em ações afirmativas na sua cidade Carmo do Cajuru (MG), disse que ficou “bastante feliz” em ver a celebração da Consciência Negra em Curitiba.


“É um momento de refletir e ter forças para continuar o caminho. Há muito para evoluir”, disse, acompanhado da mulher, três filhos e do afilhado durante show de corimbas no Memorial.


Informações da SMCS

 Águas do Rosário reforçam Consciência Negra e luta contra o racismo
© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Publicado por Editora MR Agência Digital