Curitiba, cidade mais inteligente conectada do Brasil, recebe segunda edição do Happy Tech


Evento reuniu estudantes e empresários de TI em noite de ebulição pró-tecnologia




Reunindo um público maior e de diferentes momentos profissionais, a segunda edição do Happy Tech, organizado pelo ecossistema de inovação do Paraná, brindou a diversidade de ideias e o resultado que a soma de tudo isso representa. Foram convidados para o evento, realizado no Armazém Garagem Bar, em Curitiba/PR, empresários e, pela primeira vez, acadêmicos do setor de tecnologia da capital e algumas regiões do Paraná.


“Momentos como este são especiais e necessários. É quando acontece a união da diversidade, a troca, e isso é bem enriquecedor”, destacou Cris Alessei, presidente na Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação.


Cris fala com propriedade. Citando dados do Vale do Pinhão, programa de fomento aos movimentos techs da Prefeitura de Curitiba, ela informa que a capital, por exemplo, é a cidade mais empreendedora do Sul, também uma das sete comunidades mais inteligentes do mundo, a mais inteligente conectada do Brasil, o segundo ecossistema de startups do país, uma das três cidades brasileiras que mais empregou em 2022, e que é casa para três dos 21 unicórnios no Brasil. “Tudo isso só é possível de se conquistar com a presença dos atores que compõe todo o setor de tecnologia”, assinala.


A experiência inédita de reunir estudantes ao lado do empresariado gerou oportunidades. Caique Melh, estudante de Análise de Desenvolvimento de Sistema, saiu do Happy Tech com dois contatos no bolso. “O networking foi incrível. Esse contato com o pessoal é muito bom. Não é todo evento que proporciona isso”, comentou. Ruan Sidre, colega de turma do Caique e que mira seguir carreira no setor, já sabe para quem vai enviar seu currículo. “Peguei alguns contatos, trocamos bastante aqui no evento e vamos tentar. Tecnologia é o que eu quero e o evento nos aproximou muito”, disse. Para o empresário Denis Bonfá, da DocuSign, empresa que cuida da criação do armazenamento da assinatura digital, a troca de experiencia com os mais jovens oxigenou a rotina. “Me senti até mais jovem (risos). Parabenizo demais a organização pela iniciativa. Conversava aqui com uma pessoa que como seria importante se nós tivéssemos tido essa oportunidade quando nós éramos estudantes. Essa troca é bem importante”, observou.  


Gerando oportunidades


O nascimento do Happy Tech é fruto de uma necessidade identificada pelos empresários do setor de TI. Para eles, a aproximação de parceiros é importante para fomentar mais negócios e deixar ainda mais robusto o setor. A Associação das Empresas de Tecnologia do Paraná (Assespro-PR) é uma das apoiadoras do evento.


“Especialmente neste ano, quando os acadêmicos foram convidados, entendemos ainda mais a importância do evento. Somos gigantes no setor de TI, mas não raras vezes, nos deparamos com a falta de mão de obra especializada. O Happy Tech gerou essa oportunidade, para empresário e estudante. Além disso, sabemos que os bancos acadêmicos produzem conteúdo e essa juventude cheia de ideia é muito bem-vinda para o setor”, destacou o presidente Lucas Ribeiro. “Entendemos que o Paraná tem um grande potencial para o setor e o Happy Tech veio para conectar tudo isso”, compartilhou Paulo Raymundi, um dos organizadores do evento.


Leve e descontraído, o evento contou com a apresentação dos apoiadores em breves pitchs, e teve ainda a participação dos comediantes Cadu Scheffer e Claudinho Castro, artistas do grupo curitibano de humor Tesão Piá. 


Além da Assespro e Vale do Pinhão, apoiaram a segunda edição também a agência Engenharia de Comunicação - Assessoria de Imprensa, o Sebrae, o Núcleo de Tecnologia da Informação, o Software by Maringá, a Sociedade dos Usuários de Tecnologia do Paraná, a Associação Brasileira de Tecnologia, Inovação e Comunicação Brasil e a Associação de Empresas de Tecnologia do Oeste do Paraná.




© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Publicado por Editora MR Agência Digital