Tradutor

Anjuss: Há quase 30 anos referência em moda e inovação

0

A marca curitibana mostra que mantém o DNA jovem de quando foi inaugurada, em 1995, e toda resiliência às transformações da economia e da sociedade até aqui


Os anos 1990 marcaram um novo ciclo da moda, motivada por uma variedade de fatores, incluindo música, esporte, cultura popular e mudanças sociais. Nesta fase, especialmente os jovens passaram a desfilar um vestuário despojado influenciado por diversos estilos, como grunge, rap, hip hop, surf e skate. 


Foi também quando o casal Maria Regina e Bernardo Boiko inaugurou a primeira loja Anjuss, para a venda de produtos de terceiros, com foco na moda jovem. O ano era 1995 e a unidade ficava na Praça Generoso Marques, no Centro de Curitiba. Neste período, o mercado do vestuário na capital paranaense se tornou bastante farto no segmento e muitas eram as lojas e marcas disponíveis para atender aos anseios da juventude. 


Muitas delas, até icônicas, não resistiram e ficaram para a lembrança, enquanto a Anjuss se manteve resiliente e ainda conquistou um novo patamar, de deixar de se tornar multimarcas, para ser marca própria. A Anjuss voou alto e fez acontecer, o que é um de seus grandes valores na opinião do gerente comercial Daniel Boiko. “Fazer acontecer vai além de garantir a entrega. É garantir o futuro, é pensar estrategicamente, é ser responsável com os demais elos da cadeia. Principalmente, é garantir o que mais nos interessa: um produto de qualidade, uma experiência memorável em nossas lojas e a satisfação dos nossos clientes", diz.


Um dos segredos da marca é estar atento ao que diz o consumidor, tratar cada pessoa com respeito, atenção e representatividade, e ter a capacidade de acompanhar toda a cadeia de produção, desde a criação até a loja, avalia a diretora criativa da Anjuss, Luiza Riskalla. “Fazemos questão de cuidar de cada detalhe, para poder justamente entregar a melhor qualidade, desenvolvimento e criação ao cliente. Estilistas, designers de estampas, modelagens e shapes; o marketing tem toda a cadeia de fotógrafo, produto. É uma agência in house. Foi uma escolha da marca, para ter cada vez mais identidade e personalidade”, explica. 


Outra característica latente é a melhoria contínua, destaca o diretor executivo, Elias Boiko. “Através dela conseguimos ser mais produtivos, assertivos e coerentes com o nosso negócio, em um processo constante de aprendizados, testes e principalmente diálogo com nossos colaboradores e consumidores”. 


Nova geração no comando

Luiza, Elias e Daniel são filhos de Maria Regina e Bernardo e estão atualmente à frente dos negócios. Nestes quase 30 anos, tanto a moda, como a economia e o comportamento das pessoas sofreu muitas mudanças. Chegou a era da internet, da informação rápida e das transformações cada vez mais velozes. Foram muitos desafios e, diferente de muitos negócios semelhantes que haviam na época, a marca conseguiu acompanhar as fases da moda e as tendências de mercado.


“Costumo dizer, e isso vem muito da minha mãe, sobre a questão da flexibilidade e da adaptação. A Anjuss tem um DNA e uma voz muito jovem. A rua é viva, o jovem tem esse espírito livre de fazer acontecer, a capacidade de se adaptar. E a moda é muito cíclica, tem várias fases e tendências no mercado. Com redes sociais, tecnologias avançando, internet, todo mundo tem acesso à moda muito rápido e a necessidade de adaptação é cada vez mais rápida. Pela empresa ter um espírito livre, ela inova com muita velocidade e isso se tornou um de nossos grandes trunfos.” 


Luiza cita como um exemplo dessa flexibilidade o próprio surgimento das calças jeans, que se tornaram uma peça indispensável do vestuário de todas as pessoas. “A calça jeans surgiu por uma demanda de operários que precisavam de acessórios resistentes. A mulher parou de usar vestido para usar calça para trabalhar. A moda escuta a rua e replica as tendências, que são universais. A moda é sobre isso: escutar e entender macrotendências e trazer identidade da marca para as coleções”, diz.


Referência para jovens de todas as idades

Toda a identidade da Anjuss está no seu forte time de criação, que replica todas as tendências das ruas nas coleções da marca. São lançadas duas coleções ao ano: verão e inverno. Elas incluem ainda as coleções drops, cápsula e colab, essa em colaboração com artistas e influencers. 


O time de criação já está a todo vapor, debruçada sobre as peças que vão chegar somente no ano que vem. “Estamos nas liquidações de verão 2024, fazendo liquidações. As lojas vão receber a coleção inverno 2024, que está toda produzida. E estamos começando a coleção verão 2025, com um ano de antecipação”. 


A Anjuss tem se tornado uma referência e autoridade em moda e de inovação. A marca aposta em uma estratégia omnichannel com uma comunicação e estratégia de marca conectada com todos os elos do negócio. “É tudo integrado, falando a mesma língua, para o cliente enxergar nossa identidade, nossa personalidade e as tendências urbanas, desde itens básicos a coleções mais fashionistas, costumamos dizer que produzimos para jovens de todas as idades, os jovens de espírito”, destaca Luiza.


Antes de cada lançamento, há um momento de pesquisa interna de cores, tendências, comportamento de consumo e comportamentos mundiais. A pandemia de covid-19, por exemplo, influenciou muito na moda, onde foram levados em consideração comportamentos emocionais, mentais e universais. Uma macrotendência foi a pele à mostra, conta a diretora criativa. 


“Ficamos tão trancados e usando roupas tão fechadas, que foi uma necessidade ao sair de usar roupas de festa, blusas transpassadas com umbigo à mostra, valorização de seio, perna. Muita transparência. Além de cores alegres, tecidos leves, estampas de flores, balas, arco-íris, sol, ou seja, características de positividade, depois de um período tenebroso, de medo e ansiedade”.


Atualmente, Luiza percebe uma tendência grande de busca por conforto. Como a marca está sempre em adaptação, uma característica forte é a de aproximar novos públicos, sedentos de inovação, tendências e ousadia. Segundo a diretora criativa, a linha comfy é a que está em alta. “As pessoas tiraram o salto. A mulher está com o vestido, mas com tênis no pé. Então, a gente continua atendendo aquele jovem dos anos 1990, mas que agora é pai, mãe, com uma linha confortável, bem como os filhos deles, que querem uma coisa mais ousada”, diz.


Expansão

A Anjuss tem 23 lojas próprias no Paraná e em Santa Catarina, e está em expansão. “Viemos de um ano muito desafiador, pós-pandemia, consumidores com medo, mas estamos com mais otimismo para 2024. Queremos continuar a expandir a rede, voar cada vez mais alto e buscar um crescimento de 10% neste”, estima Luiza. A marca também atende ao Brasil todo por meio do e-commerce. Hoje são cerca de 300 colaboradores diretos nas lojas e fábricas, mas este número pode triplicar se considerar equipes terceirizadas de serviços como costura, estamparia, entre outros. 

https://www.anjuss.com.br/


  •  Bruna Magno 
  • apexconteudo.com.br


Nenhum comentário

Postar um comentário

O Jornal de Curitiba reforça o compromisso com o jornalismo paranaense, profissional e de qualidade. Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar.
Siga o Jornal de Curitiba no Facebook, no Twitter e no Instagram. Ajude a aumentar nossa comunidade.
Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.
Registre sua opinião

©1999 | 2024 Jornal de Curitiba Network BrasilI ™
Uma publicação da Editora MR. Direitos reservados.