Falta de transparência no processo de contratação de fretes é desafio para empresas

Maioria das organizações realiza operação de forma manual, gerando erros, falhas, atividades repetitivas, burocracia e atrasos no serviço.

Rodrigo Fávero, sócio fundador da Everlog.



Com mais de 1 milhão e 700 mil quilômetros de estradas, e considerada a quarta maior rede de rodovias do mundo, é óbvia a importância que o transporte de cargas tem para a economia e o desenvolvimento do Brasil. Na greve dos caminhoneiros de 2018, por exemplo, em dez dias de duração, o país chegou à beira do caos.


Ocorre que, mesmo com este modal concentrando 75% da movimentação de mercadorias, são muitos os problemas do setor, como a falta de transparência e de agilidade no processo de contratação de fretes, normalmente sem automação e ferramentas de apoio ao usuário. Para reverter este cenário, a Everlog, startup paulistana de gestão de logística criada há cinco anos e com clientes da indústria, varejo e e-commerce em várias regiões do país, após ter recebido um aporte de R$ 1,5 milhão, liderados pela Cedro Capital.


Com o dinheiro em mãos, a startup desenvolverá uma nova plataforma de compra de fretes, cuja previsão é de estar disponível para os usuários no primeiro trimestre de 2022.


Na prática, o novo serviço fornecerá aos embarcadores (empresas que necessitam do deslocamento do produto entre dois pontos da cadeia de suprimentos) acesso direto aos transportadores e principais aplicativos de carga no mercado, sem intermédio algum, garantindo estoques abastecidos, com eficiente e rápida circulação de entregas, carregamentos e descargas.


Para isso, a startup contratou profissionais de tecnologia da informação (TI) e projeta dobrar de tamanho nos próximos meses, conforme ressalta o sócio fundador da Everlog, Rodrigo Fávero. “Sendo o transporte de cargas uma fase considerável para o crescimento dos negócios, nossa meta é fazer com que a contratação de fretes deixe de ser um assunto crítico nas organizações”.


Para o lançamento deste novo aplicativo, a Everlog tem como “braço direito” a tecnologia, fazendo com que as empresas abandonem atividades vistas como “tradicionais”, mas que, na verdade, estão ultrapassadas por serem feitas manualmente.Geralmente, os processos de contratação de fretes acontecem da seguinte forma: quando há uma nova demanda de serviço de entrega de mercadorias, o departamento de logística de um estabelecimento solicita das transportadoras, já listadas na relação de fornecedores, uma cotação, por e-mail ou por telefone. Estas, por sua vez, retornam o contato pelo mesmo canal, estabelecendo os termos do serviço, como prazo e valor. Como toda comunicação se dá de forma manual, tanto a empresa quanto a transportadora ficam restritas à capacidade de, no mínimo, dois funcionários (um de cada lado da negociação) para estabelecer os melhores parâmetros e, depois, fechar a contratação. “Este tipo de operação favorece que a empresa tenha, em seu time, colaboradores voltados a questões que não agregam valor e nem trazem benefícios e resultados para a operação”, comenta Fávero.


Com a nova ferramenta da Everlog, que levará em consideração as necessidades da operação logística do começo ao fim, como rota de transporte, característica da carga, data de saída e chegada, além de as empresas terem oportunidade de reduzir custos em transportes e operacionais, haverá um impacto direto no aproveitamento da equipe para trabalhos mais estratégicos, com controle e indicadores de gestão.

MAIS INFORMAÇÕES

Sobre a Everlog: https://everlogbrasil.com.br/

Sobre a plataforma de compra de fretes: www.gobid.com.br

  • Equipe de Jornalismo
  • Engenharia de Comunicação - Assessoria Everlog Brasil

© Copyright 2007 - 2022 Jornal de Curitiba
Desenvolvido por Editora MR Agência Digital